InOutScience com Carlos Camponez

No passado dia 11 de novembro, Carlos Camponez, docente da Universidade de Coimbra, esteve na Universidade do Minho para participar no Seminário Permanente de Políticas de Comunicação e Cultura sobre “Crises sistémicas de mediação: média, jornalismo e políticas de comunicação”.

O digital inspirou o conceito de “novo ecossistema mediático”, por referência às mutações introduzidas pelas denominadas “novas tecnologias da informação e da comunicação” sobre os média e o jornalismo, no final do século XX. Para Carlos Camponez, o conceito de ecossistema mediático tem a particularidade de nos alertar para o facto destes impactos não serem apenas técnicos e tecnológicos, mas atravessarem todo o campo da Comunicação.

De acordo com o professor e investigador da Universidade de Coimbra, a desintermediação generalizada que as tecnologias da era digital promoveram de forma singular explica a atual crise de mediação generalizada que caracteriza a sociedade contemporânea. No campo da Comunicação, diz Carlos Camponez, essa crise implica novas formas de repensar o jornalismo e os média, colocando-nos perante a responsabilidade histórica de criarmos o futuro. Novas formas de comunicar implicam novos valores normativos, novos perfis socioprofissionais, novas formas de regulação, novas políticas públicas de Comunicação.

Para o InOutScience, Carlos Camponez deixou a sua opinião sobre a quase inexistência de notícias sobre jornalismo.

[Publicado: 19-11-2019]