Concurso FCT para Atribuição de Bolsas de Investigação de Doutoramento

O concurso de bolsas de 2020 apoia investigadores, em qualquer área do conhecimento, que pretendam desenvolver atividades de investigação conducentes à obtenção do grau académico de Doutor.

As bolsas destinam-se a candidatos inscritos ou a candidatos que satisfaçam as condições necessárias para se inscreverem em ciclo de estudos conducente à obtenção do grau académico de doutor e que pretendam desenvolver atividades de investigação conducentes à obtenção desse grau.

Destinatários e Elegibilidade

Podem candidatar-se cidadãos nacionais, cidadãos de outros estados membros da União Europeia, cidadãos de estados terceiros, apátridas ou cidadãos beneficiários do estatuto de refugiado político.

Para concorrer é necessário:

  • Não ter beneficiado de uma bolsa de doutoramento ou de doutoramento em empresas diretamente financiada pela FCT, independentemente da sua duração.
  • Residir em Portugal de forma permanente e habitual, caso o plano de trabalhos da bolsa requerida decorra, total ou parcialmente, em instituições estrangeiras (bolsas mistas ou no estrangeiro), requisito aplicável tanto a cidadãos nacionais como a cidadãos estrangeiros.
Financiamento

Os candidatos selecionados recebem subsídios de manutenção mensal de acordo com os valores fixados no Regulamento e, quando aplicável, outros complementos de bolsa, tais como propinas, subsídios de instalação, viagem e seguro de saúde.

Como concorrer

As candidaturas são submetidas eletronicamente, utilizando o formulário disponível, entre 2 e 31 de março de 2020, no portal myFCT. Cada candidato poderá apresentar apenas uma única candidatura.

O Centro de Estudos de Comunicação e Sociedade aceita ser instituição de acolhimento, através da emissão de uma declaração que deve ser solicitada através do correio eletrónio: cecs@ics.uminho.pt

Avaliação

A avaliação das candidaturas é efetuada por um conjunto de painéis de avaliação envolvendo peritos de mérito científico e experiência reconhecida. As candidaturas são pontuadas de zero (0,000 classificação mínima) a cinco (5,000 classificação máxima) em três critérios de avaliação:

  • mérito do candidato;
  • mérito do plano de trabalho;
  • mérito das condições de acolhimento.

O três critérios de avaliação terão a ponderação de 40%, 40% e 20%, respetivamente.

O mérito dos candidatos é avaliado tendo por base três subcritérios: percurso académico, com ponderação de 50%; currículo pessoal, com ponderação de 40%; carta de motivação com ponderação de 10% do mérito do candidato.

A apreciação do currículo pessoal dos candidatos é realizada de forma integrada, partindo de uma visão global do mérito do seu percurso científico e profissional. Nesta apreciação é importante considerar as cartas de recomendação (documentos obrigatórios) e as várias dimensões do currículo que possam demonstrar um percurso científico e profissional relevante.

A avaliação do plano de trabalhos e das condições de acolhimento tem por base a avaliação qualitativa do painel, devidamente fundamentada.

Os candidatos serão ordenados de acordo com a média ponderada de classificação nos três critérios.

[Publicado: 06-02-2020]