Fernanda Pinto é psicóloga, mestre e doutora pela Universidade de São Paulo na área de Psicologia Escolar, da Personalidade e do Desenvolvimento Humano. Na sua tese intitulada “A Transferência e seus efeitos de saber” procurou articular a psicologia/ psicanálise e educação com vistas a contribuir para a formação de professores capazes de práticas que busquem instrumentos para o rompimento dos estereótipos e das ideias de homogeneidade proferidas no discurso contemporâneo que culminam na exclusão social, visando, portanto, a construção de uma sociedade mais inclusiva.

Coordenadora do curso de Pós-Graduação em “Práticas Inclusivas e Gestão das Diferenças” no Instituto Singularidades, coordenou no Lugar de Vida, grupos de educação terapêutica com crianças: autistas, psicóticas, abrigadas e moradoras de comunidades de baixa renda, durante 8 anos. É parecerista (desde 2009) da revista Psicologia USP, periódico oficial do Instituto de Psicologia da USP e da Revista Estilos da Clínica (USP).

Participou da elaboração de trabalhos voltados à educação inclusiva no LEPSI – IP/FEUSP – Laboratório de Estudos e Pesquisas Psicanalíticas e Educacionais sobre a Infância. É uma das investigadoras do Projeto financiado pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico sobre Violência Escolar: discriminação, bullying e responsabilidade. Tem como referência teórica a Psicanálise e a Educação, a partir das quais analisa principalmente os temas da educação inclusiva, questões sociais, preconceito e diversidade.