Festa, património cultural e sustentabilidade comunitária. Investigação e comunicação no caso da Bugiada e Mouriscada de Sobrado

As festividades populares têm sido exemplo do apelo à preservação e valorização do património cultural, em larga medida por via das políticas culturais que à escala local, nacional e internacional promovem a divulgação, inventariação e classificação do património cultural imaterial, bem como pela repercussão mediática de tais políticas.

Este projecto de investigação e intervenção incide sobre o estudo de caso da festa da Bugiada e Mouriscada de Sobrado, realizada anualmente a 24 de Junho, no concelho de Valongo – Área Metropolitana do Porto. Tem como objetivo central desenvolver um modelo crítico de registo, análise, interpretação e comunicação das festividades populares cíclicas, tendo por base os princípios da sustentabilidade cultural e comunitária.

Ações e resultados
1. Estudo etnográfico em profundidade nas dimensões performativa, simbólica e identitária, dando especial atenção às formas de conexão entre a comunidade e a festa;
2. Enquadramento histórico e antropológico desta festividade no contexto das ‘festas de mouros e cristãos’ e das festas de mascarados, na Europa e noutras partes do mundo, acompanhado de discussão crítica do seu papel na pedagogia da diversidade cultural, tolerância, coexistência e alteridade;
3. Desenvolvimento de modelo crítico de registo, análise, interpretação e comunicação de manifestações festivas populares enquanto património cultural imaterial das comunidades, identificando fatores do caso em estudo que possam ser relevantes para outros casos/processos, no atual contexto das políticas culturais relacionadas com o património;
4. Conceção, planeamento e justificação de um modelo de divulgação e valorização do património cultural associado a esta festa, através de publicações científicas e produções multimédia inovadoras e cientificamente fundamentadas;
5. Disseminação, comunicação e promoção de produtos e conteúdos.

 
Equipa
Rita Ribeiro, Investigador Responsável
Manuel Pinto
Emília Rodrigues Araújo
Luís Santos
Luís Cunha
Moisés de Lemos Martins
Albertino Gonçalves
Carmo Daun e Lorena
Alberto Fernandes

Período | 2018-2021
Entidade financiadora | FCT (FEDER e OE)
Orçamento | 225.583,12€