Josep Maria Aragay Borràs em Portugal na ‘Ágora De Cá’

A ZET Gallery e a Passeio acabam de anunciar a presença do espanhol Josep Maria Aragay Borràs, investigador, professor e coordenador de projetos de arte comunitária, que é também responsável pelo projeto “Basket Beat” e pelo Festival de Artes Comunitárias da Catalunha (FAACCC), no seu 2º ciclo de debates Ágora de Cá.

Esta sessão, que se realiza já a 31 de janeiro na galeria, insere-se no âmbito da problemática “O Que Pode a Arte?”, e propõe-se explorar diversas perspetivas sobre o papel da arte na sociedade contemporânea, num debate intitulado “Reunir, Repartir, Redistribuir?”.

A galeria informou ainda que, além do reconhecido investigador espanhol, o evento contará com a participação de Hugo Cruz, da PARTIS/Art for Change, Gabriela Gomes, coordenadora do projeto de arte comunitária “Por um galho”, financiado pela Gulbenkian, Teresa Mora, socióloga e colaboradora da Passeio, Sandra Baía, artista plástica com exposição a decorrer na zet gallery e ainda Abel Coentrão, jornalista e moderador do debate.

“Este é um debate que promete uma análise aprofundada sobre o papel transformador da arte na sociedade contemporânea e esperamos que a comunidade bracarense interessada nestas temáticas participe ativamente. É um ciclo criado para um público alargado, que vai dos agentes do meio cultural e artístico, à comunidade académica, mas também aos educadores, aos artistas, criadores, à comunidade em geral, bem como aos decisores políticos junto dos quais queremos reforçar que a cultura deve ser o assunto e não apenas o apêndice”, sublinha Helena Mendes Pereira, diretora e curadora da zet gallery.

A responsável garante ainda que ao longo do ciclo, que se estenderá até finais de 2025, serão abordados temas que desafiam as estruturas de criação e programação artística, com vista a proporcionar uma discussão alargada sobre a construção de pensamento crítico e a ação cívica no mundo.

De sublinhar ainda que esta proposta da zet gallery e da Passeio surge inspirada na premissa de Espinosa, refletida no seu Ética III, “O fato é que ninguém determinou, até agora, o que pode o corpo, isto é, a experiência a ninguém ensinou, até agora, o que o corpo – exclusivamente pelas leis da natureza enquanto considerada apenas corporalmente, sem que seja determinado pela mente – pode e o que não pode fazer”.

Farão parte destas sessões diversos intervenientes que incluem programadores/curadores, críticos, investigadores, criadores e jornalistas, para facilitar uma abordagem abrangente e multidisciplinar às complexas questões que envolvem a relação entre a criação artística e a sociedade.

[Publicado: 10-01-2024]