Arquivo

Revistas


Comunicação e Sociedade
(e-ISSN: 2183-3575 | ISSN: 1645-2089) é uma publicação do Centro de Estudos de Comunicação e Sociedade do Instituto de Ciências Sociais da Universidade do Minho, dirigida por Moisés de Lemos Martins e financiada pela Fundação para a Ciência e Tecnologia. Publicada desde 1999, esta revista tem um rigoroso sistema de arbitragem científica e é publicada duas vezes por ano. Está indexada em diferentes plataformas e bases de dados de revistas científicas, tanto de âmbito nacional como internacional.

Sistemas de avaliação:
Avaliação Qualis Capes (B1)
MIAR (ICDS = 9.8)
ERIH Plus
Latindex (Catálogo)

Bases de dados internacionais:
OpenEdition
SCOPUS
SciELO
Google Schoolar
EBSCO – Academic Search Premier
BASE – Bielefeld Academic Search Engine
CEDAL – Centro de Documentación para América Latina
DOAJ – Directory of Open Access Journals
JournalTOC’s
Open Access in Media Studies
OAIster® database (Mundial)
MLA International Bibliography
Union Catalogue of Serials (ZDB)
Elektronischen Zeitschriftenbibliothek

Catálogos de bibliotecas:
Catálogo colectivo COPAC (Reino Unido)
Catálogo colectivo SUDOC (França)

Repositórios científicos portugueses:
RepositóriUM
RCAAP – Repositórios Científicos de Acesso Aberto de Portugal

A revista Comunicação e Sociedade é membro da REVISCOM (Rede Confibercom de Revistas de Comunicação).

Visualizar publicação

Comunicar em Saúde em tempos de pandemia

Felisbela Lopes, Rita Araújo & Peter Schulz

Vol. 40 - 2021 | CECS - UMinho

ISSN:ISSN: 1645-2089 // e-ISSN: 2183-3575

Quando algo de verdadeiramente incomum acontece e recebe ampla atenção, seja porque a população o requer ou porque os poderosos pensam que é do seu interesse que a população saiba, estamos perante uma situação que permite aos investigadores da comunicação e ao público leigo estudar a comunicação de forma direta, imediata, próxima, enquanto as nossas preocupações ainda são recentes. Só os acontecimentos fora do comum se podem intrometer entre o investigador e o seu objeto. Se o acontecimento for alegre, a alegria pode ocupar-se do coração e da mente dos observadores. Se o acontecimento for uma ameaça, os receios podem distrair o observador do seu papel de observar. Quando um país está em confinamento, a maioria das tarefas do dia a dia tornam-se mais difíceis e levam mais tempo.

Esta edição dedicada a “Comunicar em Saúde em Tempos de Pandemia” apresenta artigos que oferecem uma visão sistémica daquilo que foi a comunicação e o jornalismo em período pandémico, nomeadamente durante o primeiro ano de disseminação do vírus SARS-CoV-2.